Gonçalves, T. (2014). Habitar: Casa como contingência da condição humana. Revista INVI, 29(80), 83-108. Como citar este artículo

Habitar: Casa como contingência da condição humana

Teresinha Maria Gonçalves

Resumen


Este texto trata-se de uma reflexão crítica e teórica dentro do processo de uma pesquisa iniciada em 2007 e ainda em andamento. A pesquisa que proporciona esta reflexão teórica cobre um recorte temporal de 2007 a 2010, totalizando oito semestres e resultando num material de campo que envolveu, por semestre, 40 sujeitos, o que configurou um coletivo de pesquisa de 320 sujeitos. Coordenada pela autora deste texto, tal pesquisa ocorre no âmbito do Laboratório de Meio Ambiente, Psicologia Ambiental e Desenvolvimento Urbano da Universidade do Extremo Sul Catarinense, situada em Criciúma, SC, Brasil. O objetivo desta reflexão e crítica teóricas, bem como o da pesquisa é ampliar os horizontes para a compreensão do processo de apropriação da casa, da moradia. Referido processo é, em grande parte, detectável por meio da identificação das dimensões simbólicas da casa – personificação, cultivação e sentimento de pertença. O texto faz um breve contraponto com o contexto social da pesquisa e com as políticas públicas de habitação no Brasil, concluindo com um recorte de análise preliminar de dados da pesquisa em processo e apontando questões importantes para seu aprofundamento.

Palabras clave


HABITAÇÃO; APROPRIAÇÃO; LUGAR ESSENCIAL; PRODUÇÃO DA SUBJETIVIDADE; IDENTIDADE